A Ressurreição e Ascensão de Cristo

Segundo a tradição dogmática reformada existe o contexto de humilhação e exaltação de Cristo. Na HUMILHAÇÃO tem-se a seguinte ordem de eventos: Logos preexistente, Desejado, Encarnado, Concebido pelo Espírito Santo, Nascido da Virgem, Batizado que se identificou com pecadores, Anunciador do Reino, Servo Sofredor, Crucificado, Morto, Sepultado. Quanto a EXALTAÇÃO tem-se: Ressuscitado, Ascendido aos Céus, Sentado à destra do Pai, Intercessor, Aquele que voltará, Juiz do Juízo Final. Este é um esboço do estudo da Ressurreição e da Ascensão de Cristo, eventos iniciais da Exaltação de Cristo após sua humilhação em nosso lugar para que tenhamos Vida Eterna!! Vamos começar?

1. RESSURREIÇÃO
“… de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo as primícias dentre aqueles que dormiram. Visto que a morte veio por meio de um só homem, também a ressurreição dos mortos veio por meio de um só homem. Pois da mesma forma como em Adão todos morrem, em Cristo todos serão vivificados”. (1 Coríntios 15.20-22)

1.1. EVIDÊNCIAS DA RESSURREIÇÃO
As pequenas variações nos testemunhos dos evangelhos são evidências de testemunho ocular, ou seja, pessoas reais presenciaram os eventos descritos. Se esses fatos tivessem sido inventados, não teriam as mulheres como primeiras testemunhas de Jesus. Pela cultura da época elas eram desprezadas, portanto seriam as últimas e não as primeiras a verem Cristo. A ordem de aparição depois da ressurreição:

  • Mt  28.1-20: Mulheres e os discípulos.
  • Lc  24.1-53: Mulheres e apóstolo Pedro.
  • Jo  20.1-29: Mulheres, os discípulos e Tomé pede para tocá-lo.
  • Mc 16.1-08: Mulheres, os discípulos e os dois discípulos de Emaús.

1.2. A NATUREZA DA RESSURREIÇÃO 

Ação da Trindade: Deus Pai (Jo 10.17-18), Deus Filho (At 13.30-35) e Deus Espírito Santo (Rm 1.4).

Transformação do corpo: Renovou seu corpo original e por isso conseguiu aparecer, desvanecer e mover-se sem ser visto de um local para outro (Lc 24.31-36) apesar de ter ressuscitado em carne e osso (Mt 28.9). Também comeu com os discípulos (Lc 24.30) e Tomé tocou nele (Jo 20.15). Seu corpo passou a ser plenamente glorificado, imortal (Fp 3.21; Hb 7.16-24) e vive assim para sempre no céu.

1.3. O VALOR DA RESSURREIÇÃO   

  • Prova indiscutível de que a mensagem sobre Jesus como Juiz e Salvador é verdadeira(At 17.31; 1Co 15.1-11,20); e base da ressurreição para a vida do salvo aqui e agora(Jo 11.25-26, Rm 6; Ef 1.18-2.10; Cl 2.9-15; 3.1-4);
  • Comprovou a vitória de Cristo sobre a morte(At 2.24; 1Co 15.54-57) e mostrou sua identidade divina (Rm 1.4);
  • Garantiu a existência do novo nascimento, da regeneração  (1Pe 1.3), do perdão e da justificação do salvo (Rm 4.25; 1Co 15.17);
  • Assegurou a mesma transformação de Cristo para aqueles que acreditam na ressurreição dele, assim que Jesus voltar (Rm 10.9-10;1Co 6.14; 2Co 4.14).

2. ASCENSÃO
“Tendo dito isso, foi elevado às alturas enquanto eles olhavam, e uma nuvem o encobriu da vista deles. E eles ficaram com os olhos fixos no céu enquanto ele subia. De repente surgiram diante deles dois homens vestidos de branco, que lhes disseram: Galileus, por que vocês estão olhando para o céu? Este mesmo Jesus, que dentre vocês foi elevado ao céu, voltará da mesma forma como o viram subir”. (Atos 1.9-11)

2.1. A EVIDÊNCIA DA SUBIDA
O céu é um lugar definido por Deus. Jesus não subiu e desapareceu. Apenas, não podemos ver onde ele está hoje, porque ainda não ressuscitamos. Lembram de Estevão? Jesus decidiu mostrar para ele durante sua morte. Não significa que Deus mostrará para todos que estiverem morrendo, mas que o céu existe. Paulo também viu.

  • Estevão – “Mas Estêvão, cheio do Espírito Santo, levantou os olhos para o céu e viu a glória de Deus, e Jesus de pé, à direita de Deus, e disse: “Vejo o céu aberto e o Filho do homem de pé, à direita de Deus”.  (Atos 7.55,56)
  • Paulo –  “Conheço um homem em Cristo que há catorze anos foi arrebatado ao terceiro céu. Se foi no corpo ou fora do corpo, não sei; Deus o sabe.” (2Co 12.2)

2.2. A NATUREZA DA ASCENSÃO

  • Deus Pai ressuscitou Jesus e assim fará com os mortos em Cristo (1Ts 4.14);
  • A restauração da glória que o Filho tinha antes da encarnação (Jo 17.5;1Tm 3.16);
  • Cristo assentou-se à direita de Deus, lugar de poder, governo e autoridade (Mt 28.18; Ef 1.20-22;1Co 15.27;1Pe 3.22).

2.3. O VALOR DA SUA SUBIDA

  • Garante um lugar para morarmos no futuro (Jo 14.2-3);
  • Quem estiver unido a Cristo também subirá aos céus (1Ts 4.17);
  • Jesus é acessível a todos que o invocam (Hb 4.14) e poderoso para ajudar em qualquer lugar (Hb 4.16; 7.25; 13.6-8);

3. CONCLUSÃO
A ressurreição em carne e osso de Cristo aconteceu, por isso podemos ter esperança da ressureição quando Jesus voltar.  Aqueles que estão unidos a Cristo pela fé, devem permanecer firme na obra de Deus como Cristo fez até sua morte de cruz(1Co 15.58). Precisamos manter nossa visão na recompensa celestial (1Co 15.17-19;32) e deixar de nos submetermos ao pecado (Rm 6.11). Então, aguardemos com fé a sua volta(Jo 14.18), sempre lembrando que Cristo subiu aos céus onde recuperou todo o poder que tinha antes de descer aqui na terra para morrer por nós. Do céu ele intercede por nós e também compartilha parte da sua autoridade com a igreja aqui na terra(Ef 2.6). Não estamos sozinhos lutando neste mundo.

Busque a Deus enquanto se pode achá-lo, arrependa-se dos seus pecados agora mesmo e creia em Cristo como teu Senhor e Salvador! Eu e você precisamos de Cristo para agora e para a eternidade! Ele ressuscitou e subiu aos céus para garantir que um dia eu e você também ressuscitaremos e subamos para uma vida perfeita ao lado de Deus para sempre! Lá não haverá dor, morte, boleto, inimizade, mal, nenhum pecado! Mas haverá plena paz e amor. Jesus voltará para levar aqueles que têm fé Nele, você tem? “Se com a boca você confessar Jesus como Senhor e em seu coração crer que Deus o ressuscitou dentre os mortos, você será salvo. Porque com o coração se crê para a justiça e com a boca se confessa para a salvação” (Rm 10.9-10).

Fontes:
FERREIRA, F. Teologia Sistemática: uma introdução à sistemática das doutrinas. 1. ed. São Paulo: Vida Nova, 2011, p. 127
PACKER, J.I. (James Innell). Teologia Concisa. 2. ed. São Paulo: Cultura Cristã, 2004, p. 115-118.

Obs: Esboço da aula dada na EBD dos adolescentes no dia 27/11/2016 na Igreja Batista Central de Taguatinga – DF.

Comentários