Você confia nas promessas de Deus?

“Da descendência desse homem Deus trouxe a Israel o Salvador Jesus, como prometera. At 13:23

A vida do ser humano é construída de seus traumas, decepções, alegrias,  tristezas e realizações, entre outras coisas. 

Provavelmente, uma das  maiores decepções que enfrentamos desde os primeiros passos é o não cumprimento de promessas. Infelizmente,  na maioria das vezes, começa pelos nossos próprios pais. 

Nossas expectativas transformam-se em frustrações que nos acompanham durante toda a nossa existência. As frustrações criam uma defesa, uma resistência na alma, a fim de evitar nossas decepções. 

Sendo assim, temos uma imensa dificuldade para confiar nas pessoas.  Impossível ser diferente.  Familiares,  amigos, políticos e tantos outros já nos enganaram tanto que não acreditamos mais em ninguém. 

Ora, se aprendemos a desconfiar de tudo e de todos que vemos, será que temos facilidade para confiarmos em Deus que não vemos?

Nessa passagem do capítulo 13 de Atos, os frequentadores da sinagoga de Antioquia da Pisidia pediram que o apóstolo Paulo lhes dessem uma mensagem de encorajamento. 

Então,  Paulo lhes relembrou o que Deus fez por Israel, e,  ao citar Davi, afirmou: “Da descendência desse homem Deus trouxe a Israel o Salvador Jesus, como prometera. At 13:23 

Assim,  Paulo deixou  duas coisas bem claras: 

  1. Deus, diferentemente do ser humano, sempre cumpre as suas promessas.
  2. Jesus Cristo é tudo o que precisamos para enfrentarmos todos os nossos desafios e dificuldades diariamente até o dia final. 

A principal promessa das Escrituras sagradas foi cumprida em Cristo. Na verdade,  todas as promessas têm a sua origem e o seu final Nele . 

O Todo-Poderoso, segundo os seus propósitos, pode curar,  fazer prosperar, enriquecer quem Ele quiser. Isso é inegável e inquestionável.

Infelizmente, existe um “evangelho” adulterado, cheio de promessas mentirosas e vazias que tem atraído multidões. 

Os dados do IBGE mostram que o Brasil tem 25,3% da população vivendo em condições de pobreza, o que equivale a 52,5 milhões de pessoas. Outros 6,5%, o equivalente a 13,5 milhões de pessoas, estão na linha de extrema pobreza – aqueles que têm renda de até US $1,9 (aproximadamente R $7,70) por dia, de acordo com o Banco Mundial.

Em países como o Brasil que apresenta uma enorme desigualdade, “promessas” de ascensão social, riquezas,  curas, entre outras coisas com certeza atrai muitos fiéis. Alguns por ganância, outros por necessidades.

Estimular as pessoas a sonharem com a solução dos seus problemas financeiros através da doação de ofertas e dízimos, além de outras coisas que não vale a pena mencionar aqui, é se aproveitar da ignorância delas. 

Esse falso evangelho tem um efeito devastador para o país, por alguns motivos que elenco abaixo:

  • afasta boa parte dos brasileiros do Deus bíblico; 
  • forma líderes que se alimentam do rebanho, dispostos a qualquer coisa para enriquecer;
  • cria um falso  estereótipo dos evangélicos, passando a péssima impressão de que são pessoas ignorantes ou alienadas;
  • favorece um sem número de escândalos, abalando a credibilidade do cristianismo;
  • não permite que as pessoas consigam superar suas dificuldades e pecados, contribuindo para relacionamentos tóxicos, abusivos e vazios, tendo como consequência o divórcio, abusos sexuais, etc… 

Deus cumpre as suas promessas. A prova disso é Jesus Cristo, como foi apresentado pelo apóstolo Paulo.

“Aquele que não poupou seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós, como não nos dará com ele, e de graça, todas as coisas?” Rm 8.32.

O próprio Cristo falou: “…não se preocupem, dizendo: ‘Que vamos comer?’ ou ‘Que vamos beber?’ ou ‘Que vamos vestir?’ … o Pai celestial sabe que vocês precisam delas. Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas serão acrescentadas a vocês. 

Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações. Basta a cada dia o seu próprio mal.” Mt 6:31-34

Jesus nos advertiu que falsos profetas “tentariam enganar até os escolhidos”. 

A solução é nos aproximarmos de Deus e da sua Palavra. Sem acréscimos ou distorções. Conhecê-lo  através do estudo sistemático das Escrituras e de devocionais sinceros, sem religiosidade. 

O resultado da exposição genuína das Escrituras sempre será o mesmo:

“Ouvindo isso, os gentios alegraram-se e bendisseram a palavra do Senhor; e creram todos os que haviam sido designados para a vida eterna.” At 13:48 

A principal promessa Divina é a vida eterna à todos aqueles que crerem em Cristo. Aqui neste planeta tudo é passageiro e perecível. 

Vale mais a pena focar na eternidade e acreditar que Deus cumprirá sua promessa de cuidar dos seus filhos,  não deixando faltar as nossas necessidades básicas. 

Outras necessidades, nossos  sonhos e projetos individuais alcançaremos com sabedoria, saúde, esforço e perseverança, sempre deixando-se guiar pelo Espírito Santo e a Palavra de Deus. 

Foco, determinação e fé! Como nos ensina o apóstolo Paulo: Aprendendo a viver contente em qualquer circunstância. 

Pense nisso!!!

Até a próxima!!!   

Deus o abençoe!!!                                                                        

Elias Silvio

Notas

1. J. Williams, David. Atos, Novo Comentário Bíblico Contemporâneo. São Paulo: Editora Vida, 1985.

2. H. Gundry Robert. Panorama do Novo Testamento. São Paulo: Edições Vida Nova, 1978.

3. Craig S. Keener. Comentário Bíblico Atos, Novo Testamento. São Paulo: Editora Atos, 2004.

4. Stott, John R. W. A mensagem de Atos. Até os confins da terra. São Paulo: ABU Editora S /C, 1990.

5. Kistemaker, Simon J. Comentário do Novo Testamento – Exposição de Atos dos Apóstolos. Editora Cultura Cristã, 2003

Comentários