Um cristão pode ser feminista?

Segundo o portal Brasil Escola, feminismo “é o movimento social que luta contra a violência de gênero e pela igualdade de direito e de condições das mulheres na sociedade”. Em tempos pós-modernos em que vivemos, torna-se cada vez mais difícil compreender sobre quais “direitos” essa definição se refere. Por isso, responder a pergunta “um cristão pode ser feminista?” talvez seja possível a medida que descobrirmos mais detalhes desse movimento. Vamos lá?

1) OBJETIVOS DO MOVIMENTO:

a) No início do feminismo (XVIII a XX): A luta era para que os direitos sociais fossem iguais entre homens e mulheres. Pois as mulheres nesse período, não tinham direito a;

  • Cursar a universidades;
  • Votar nas eleições políticas;
  • Escolher empregos melhores;
  • Exercer profissões como teologia, medicina e advocacia;
  • Ter investigações severas dos crimes sexuais/violência sofridos;
  • Receber salário equitativo pelo mesmo trabalho realizado por homens;

Com relação a essas questões, todos nós devemos lutar para que homens e mulheres tenham mesmos direitos fundamentais e sejam igualmente respeitados, pois todo ser humano é a imagem e semelhança de Deus (Gn 1.27). Se lutar por isso é ser chamado de feminista, então nesse sentido, um cristão pode ser feminista.

b) Outras etapas do feminismo.

O movimento não parou nos direitos e respeito iguais, mas progrediu para princípios perigosos e anti-bíblicos. Nessa nova fase do feminismo, um cristão não pode ser feminista.  Pois o movimento exigem que o mundo seja visto somente pela perspectiva da mulher.

Mudanças nas relações sociais

  • A mulher é superior em tudo; 
  • A mulher não precisa do homem;
  • A mulher precisa trabalhar fora de casa para ser feliz e se sentir útil.

Mudanças na Bíblia:

  • O patriarcado (o governo do pai) deve ser abandonado pois descreve o domínio social do macho e a inferioridade e a submissão da fêmea: o problema principal da insatisfação da mulher;
  • O machismo existe na Bíblia porque ensina a diferença de papéis entre homem e mulher;
  • O Deus Pai deveria se chamar “Sofia” e todos os termos referentes ao masculino devem ser retirados; Jesus, o Filho de Deus, passaria a ser chamado de “a criança de Deus”.

Resumo das Diferenças

Feminismo Anti-Bíblico Evangelho
A mulher é superior em tudo. Cristo é superior a tudo e a todos. (Rm 11.36)
A mulher precisa trabalhar fora de casa para ser feliz e se sentir útil Cristo é o verdadeiro sentido de vida. (Jo 6.68)
A mulher não precisa do homem. Em Cristo, homem e mulher depende um do outro. (1Co 11.11-12)
Patriarcado descreve o domínio social do macho e a inferioridade e a submissão da fêmea. Isso o problema principal da insatisfação da mulher. O marido é o cabeça da casa com a principal finalidade de cuidar, proteger e dar sua vida por ela (Ef 5.21-23). Com certeza uma mulher sentiria-se satisfeita com esse amor.
O machismo existe na Bíblia porque ensina a diferença de papéis entre homem e mulher. Tanto o homem como a mulher têm direitos iguais, mas seus papéis são diferentes e foram definidos pelo próprio Deus antes do pecado entrar no mundo (Gn 2). Portanto, a Bíblia não tem origem no machismo nem feminismo.  Mas, em Deus (2Pe 1.20-21).
Todos os termos referentes ao masculino devem ser retirados; Deus Pai deveria se chamar “Sofia” e Jesus, o Filho de Deus, passaria a ser chamado de “a criança de Deus”. O pecado faz o ser humano buscar as ideias loucas para negar a Deus. “Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.” (Rm 1.20-22)

2) COMO PRATICAR O EVANGELHO PARA O BEM DA MULHER?

Seguem algumas sugestões:

MULHERES: Reconheçam a superioridade e a soberania de Cristo sobre suas vidas, desejos e sonhos. Tenham a Palavra de Deus como única e infalível regra de fé e prática. A felicidade verdadeira não está no emprego ou na família ou em um cargo eclesiástico na igreja. Mas no Cristo que morreu na cruz em seu lugar(Jo 3.16). Respeitem e amem seus maridos, cuidem da sua casa e filhos. Sejam submissas ao marido que lhes amarem como Cristo amou a igreja(Ef 5.21-23). Não sintam-se superior aos homens, cada um considere os outros superiores a si mesmo (Fp 2.3). Todos somos pecadores, temos os mesmos direitos e devemos ser respeitados uns pelos outros, pois somos imagem e semelhança de Deus (Gn 2.7).

HOMENS: Honrem suas mulheres. Sejam gratos pela roupa passada, pela comida feita, pelo carinho e amor, pelo trabalho e pelo sacrifício de suas esposas. Participem dos deveres domésticos, cada um fazendo um pouco, não fica pesado para ninguém. Considerem os outros superiores a si mesmos(Fp 2.3). Sejam melhores amigos delas e falem delas  como companheiras fiéis. Sejam o Porto Seguro de suas esposas, deem suas vidas por elas assim como Cristo é da igreja(Ef 5.25-30). Além disso, homem de verdade é fiel à mulher. Adultério desonra a Deus em primeiro lugar e em segundo a mulher. 

FILHOS: Obedeçam suas mães como a seus pais. É obrigação de filho obedecer(Ef 6.1), não é um favor. Enquanto dependerem financeiramente dos seus pais, sejam submissos em tudo a eles. Quem manda em casa é pai e mãe. Não bata nem grite com sua mãe, respeite, a ame e a sirva de bom grado.

TODOS: Amar a Cristo em primeiro lugar, e assim será possível amar uns aos outros como Cristo nos amou. Deixar de falar mal das mulheres,  honrar o papel da mulher dado pelo próprio Deus e lutar para que as mulheres tenham os mesmos direitos que os homens. Além disso, deve-se abandonar o uso de expressões pejorativas como “mulherzinha”, “gay”, “homem não chora, só mulher faz isso”, “dona de casa”, etc. Pois, indiretamente afirmam que a mulher não tem honra, é fraca e não tem valor.

3) CONCLUSÃO

Apesar do homem e da mulher não serem iguais em gênero, eles devem ser tratados igualmente com relação aos direitos sociais e respeito. Pois, todo ser humano, independe do sexo, é a imagem e semelhança de Deus e todos existem por causa de Deus (Gn 1.27). Outra coisa, devemos lembrar que o papel de auxiliadora e companheira foi dado à mulher antes da queda. Portanto, o papel  da mulher não é consequência do pecado. Teve origem na criação, e Deus disse que tudo era bom! (Gn 2.18).

Então podemos afirmar que um cristão é “feminista” quando seus objetivos para o bem da mulher estão de acordo com Evangelho. Porém o melhor é fugir dos rótulos e viver o Evangelho que é o equilíbrio desejado por Deus. Os dois extremos machismo e feminismo, ambos são pecados. Fuja deles, arrependa-se dos seus pecados e corra para Cristo.

Fontes:

PEACE, Martha. Mulheres em Apuros: Soluções bíblicas para os problemas que as mulheres enfrentam. SP, FIEL 2011. Pg 133-144.

LOPES, Augustos Nicodemus. Visto dia 30/03/2016 – “Um Cristão pode ser feminista?” http://youtube.com/watch?v=tWVhyO18PPA

BRAGA, Norma. Visto dia 31/03/2016 – “Feminilidade e o Papel da Mulher” http://youtube.com/watch?v=rcxW0tjFuFA

Portal Brasil Educação – https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/historia/o-que-e-feminismo.htm

_____

Obs: Esboço da palestra dada na reunião de adolescentes(LIGA) da Igreja Batista Central de Taguatinga dia 01/04/2016.

Comentários